Mentiras Como o Amor, Louisa Reid

Por Jaci Pandora, do Recife.
Em "Mentiras como o amor" somos apresentados a Audrey, uma adolescente que aparentemente sofre de algum transtorno emocional. Ela mora com sua mãe e irmão mais novo e acabou de se mudar para uma nova cidade em busca de tranquilidade e tratamento para sua doença e nessa mudança acaba encontrando Leo, que também viveu há algum tempo atrás uma situação análoga a dela. A empatia entre Leu e Aud é quase imediata e por muitos momentos me ocorreu ter em mãos um romance, ledo engano.

Louisa Read conta sua história oscilando entre Leo e Audrey, só que quando estamos com ele a história vai para a terceira pessoa e quando vai para ela cai em uma primeira pessoa. Então ao longo das mais de 400 páginas de livro temos uma visão ampla e franca sobre a vida do Leo, um garoto sobrecarregado pelas expectativas da mãe, que encontra naquela cidadezinha uma vida menos estressante. Por outro lado, na ponta da Aud acompanhando estritamente a visão dela tudo é cercado por mistérios, afinal, a menina carrega o estigma da garota doente, toma remédios e até mesmo suas memórias vem de forma desordenada.


Em um primeiro momento temos a impressão de ter a história de uma menina depressiva com uma mãe que luta contra tudo e todos para mante-la segura. Porém, pouco a pouco, sempre fugindo do dramalhão hollywoodiano, Louisa Reid da sentido ao ditado "Nem tudo que parece é". Audrey e sua mãe protagonizam uma das relações abusivas mais chocantes que tipo o desgosto de conhecer. Logo nas primeiras páginas é possível sentir um certo incomodo na relação mãe-filha retratada, mas nada nos prepara para o quão profundo esses abusos são. É impressionante e também é o tipo de coisa da qual dificilmente é possível sai sem ajuda.

E no ponto ajuda, Leo se torna necessário, o rapaz também tem uma história com sua mãe envolvendo excessos e sua empatia com a Aud com a convivência se transforma em uma relação de afeto, solidariedade e amor lindas de se acompanhar. É muito terna a forma como a relação dos dois se desenvolve e como ela se torna importante para que a protagonista encontre forças para vencer suas lutas internas e externas, afinal nada nos fortalece tanto quando a compreensão de que somos amados e amadas.

Em "Mentiras como o amor" acompanhamos um casal descobrindo o primeiro amor e também uma menina presa por todos os lados em uma relação conturbada com sua mãe difícil de descrever. A primeira coisa que pensei foi: "Não vai ser fácil resenhar esse livro". E, de fato, não foi. A Louisa Reid ao escolher o tema a abordar em seu livro fez uma escolha delicada e quando começou a escrever também não optou por um caminho fácil. Com 50% do livro lido eu ainda me perguntava: "Onde essa história vai me levar?" e  o final dele me deixou ATORDOADA. Foi uma leitura surpreendente, emocionante e de balançar as estruturas do coração. Claro que indico a todos e todas!

Recebemos esse livro cortesia em troca de uma opinião sincera. Obrigado editora:


Tecnologia do Blogger.