Ligeiramente Maliciosos, o segundo livro do saga Os Bedwyns

O segundo livro da saga Os Bedwyns não deixa a desejar, e promete muito romance e reviravolta.

Por Jaci Pandora, do Recife.

Desde meu primeiro encontro com a Mary Balogh através do livro “Ligeiramente Seduzidos” ela se destaca aos meus olhos como uma autora que gosta de compor personagens conscienciosos com um rígido senso de moral, dever e honra. Sinceramente sempre tenho a impressão que todos os personagens dela leram O Contrato Social, de Jean-Jacques Rousseau e fizeram dele sua Bíblia. Adoro isso nela, tenho um fraco por gente conscienciosa.

Rannulf Bedwyn e Judith Law, protagonistas de Ligeiramente Maliciosos (Editora Arqueiro, 2015, 288 pgs) são justamente isso, pessoas com um forte sentido de moral e honra e quando eles se encontram pela primeira vez, em meio a um acidente em uma noite chuvosa, estão justamente a caminho do cumprimento de seus deveres inadiáveis, porém, nenhum dos dois se sente muito ansioso por assumir esses deveres.


Judh está indo pagar uma divida contraída por outra pessoa, a saber seu irmão, se tornando uma quase empregada na casa de sua tia rica e mesquinha. Rannulf está a caminho de realizar o desejo de sua avó, da qual é herdeiro, e encontrar uma esposa adequada a responsabilidade de administrar terras e fortunas das quais inúmeras pessoas dependem. Nenhum dos dois se sente confortável e uma vez que sentem uma atração instantânea um pelo outro decidem ceder ao desejo, usar mascaras e roubar um momento para si.

E bem, daí nós já sabemos para onde a história caminha, uma teia de coincidências envolvem nossos ladrões de sonhos voluptuosos e quando eles menos esperam se vem frente a frente e as mascaras caem e quem pode fugir dos desígnios do coração? Judith e Rannulf seguem se encontrando e desencontrando até o ponto no qual a relação dos dois pula de um sonho roubado para algo mais forte e determinado até o ponto do desejo dos dois se transformar em realidade.


O problema é, Rannulf é um lorde e Judith uma mulher ocupando uma posição servil na casa de uma parente rica. Na sociedade hierarquizada e desigual do século XIX isso é uma questão forte e uma coisa que amo na Mary Balogh é o fato que ela não nos deixa seguir pelo romance sem cutucar essas feridas e mostrar o lado B dos oitocentos. Nosso casal tem muito a superar, mas a força de caráter de ambos, mas que o poder do amor, leva os dois através de suas desventuras até seu final feliz.


Uma vez mais adorei a escrita clara e concisa da Mary, a forma como seus heróis e heroínas tem consciência de suas responsabilidades e o desenrolar do romance. Amei também a participação do mais velho dos Bedwyns, o Duque de Bewcastle que sempre aparece na hora certa e no momento exato usando sua influencia e poder para ajudá-los a encontrar seu final feliz.


A edição da Arqueiro está muito linda, a capa de Ligeiramente Seduzidos, na minha opinião, é uma das mais lindas da minha estante, combina com o livro e faz valer a pena ter o volume físico. Recomendo muitoooo!

Recebemos essa edição como cortesia da Editora Arqueiro, em troca de uma opinião sincera sobre o livro.



Tecnologia do Blogger.