Travessuras da Menina Má: um livro incrível!

O peruano Mario Vargas Llosa completou 80 anos em 2016, e tem diversos títulos já publicados no Brasil. Travessuras da Menina Má é uma de suas obras mais populares. 

Por Alexandre Melo, de Recife
Ultimamente tenho percebido certo fascínio de minha parte por literatura latino-americana, então tenho buscado ler mais obras desses escritores. Em uma dessas, me deparei com Mario Vargas Llosa e o título curioso de sua obra me abraçou de cara na loja do Kindle: Travessuras da Menina Má. Confesso que o livro é formidável, e me agradou muito.

Llosa é peruano e aborda igualmente a trama de um peruano: Ricardo Somocurcio, o Ricardito, que é o narrador de sua própria história. O acompanhamos em uma longa jornada. Aos 15 anos, vivendo em Miraflores, Lima, dos anos 1950, quando ele conhece uma garota chamada Lily, muito esperta, e que se diz chilena. Apaixona-se perdidamente por ela, e pede inúmeras vezes que namore com ele, ela nunca responde nem que sim, nem que não, até que um evento afasta  a garota da cidade. O tempo passa, e Ricardido, já adulto realiza o sonho de ir morar em Paris, trabalhando como tradutor na Unesco. Lá, por coincidência, reencontra Lily, que agora é guerrilheira da força de esquerda, adotando outro nome: camarada Arlette. Desse reencontro, Ricardito descobre que ainda está apaixonado por ela, e é aí que acompanhamos a tortuosa história de amor entre a "Menina Má" e o "Coisinha à Toa".

A menina má tem sede por dinheiro, e prestígio, e é capaz de fazer tudo por isso, engana o bom menino durante o livro inteiro, que é recheado de traições, mentiras, e sedução. Sim, Lily é extremante sedutora, tanto em palavras quanto em atitudes. Te convence a fazer o que ela quiser com uma simples conversa, ela é sagaz, mas gostamos dela. Já Ricardito é um homem pacato, honesto, e não tem grandes pretensões e sente-se tranquilo com o pouco dinheiro que recebe por suas traduções.
Lily é como uma maré na vida de Ricardo, ela vem e vai, deleita Ricardo, o usa enquanto pode, e some sem motivo algum, mas por piores travessuras que a menina má apronte com o pobre tradutor, ele sempre cede aos seus encantos, como ele mesmo diz:

"...quero que continue me fazendo todas as maldades do mundo. Posso ajudar de algum jeito? Faço o que você me pedir. Porque continuo amando você com toda a minha alma, menina má."
O livro editado pela Alfaguara tem 302 páginas, que devoramos rapidamente. Llosa apresenta um romance nada convencional, que tem uma narrativa que prende, e te leva de Lima, da década de 1950, até a Europa nos anos 1980, passando por Paris, Londres, Tóquio, Madri, e acompanhamos o envelhecimento dos protagonistas e as pessoas que passaram pela vida deles durante tantas décadas, até sentirmos que nos apegamos ao casal.

Após terminar a leitura desse livro, busquei opiniões de outros leitores sobre a obra, e achei interessante como elas divergem em extremos uns dos outros: enquanto uns amam, outros odeiam. Acho que o Llosa escreveu Travessuras da Menina Má pensando exatamente nisso: em explorar esses sentimentos confusos e extremos dos seus leitores. Eu particularmente adorei esse livro, e foi uma das leituras mais gostosas que tive na vida. O desenvolvimento dos personagens foi interessantíssimo. Concordo que o Ricardito é um paspalhão, mas sabe, em momentos eu compreendia a Menina Má, em momentos compreendia o amor doentio do bom menino, em momentos tinha ódio dos dois. Senti nas letras de Llosa um pouco de Victor Hugo, em os Miseráveis, por ele traçar uma história de vida tão longa e em tantos lugares diferentes, e por explicar em algum lugar da obra as motivações das pessoas, ou o porque de seu caráter ter se moldado da maneira que é apresentado. A cada capítulo te fazer sentir como se estivesse começando um livro novo. 

"Para qualquer pessoa é mais difícil viver na verdade que na mentira."






É uma obra ótima, que entrou na minha lista de favoritos, e que recomendo a leitura. Mas advirto, talvez você tenha ódio pela Menina Má, talvez você ache que Ricardito é um completo estúpido, mas não dá pra negar que são personagens que você sempre irá lembrar.

"...porque na vida raramente as coisas acontecem como planejamos."

Abraços  e até a próxima!



Tecnologia do Blogger.