Impressões sobre Fingindo, da Cora Carmack


E aí, gente? Como vão? Hoje temos mais uma resenha de um livro da nossa parceira, Novo Conceito. Esse foi um dos primeiros que recebemos da nossa parceria, e quem ficou encarregada da resenha foi nossa querida amiga Michele Lima! Vamos ver então o que ela tem a falar sobre Fingindo, da Cora Carmack., quem gosta de romances hot, com certeza se identificará. Abraços!!

Depois de “Perdendo-me”, Cora Carmack segue com “Fingindo” e se você não leu o primeiro livro, não se preocupe, você pode ler o segundo sem o menor problema, mas quem o leu o primeiro vai encontrar em algumas passagens a personagem Bliss!
Eu realmente achava que Fingindo ia pegar fogo pela premissa da história, mas não, Cora consegue envolver a leitura em cenas hots, sem o menor apelo sexual, tudo numa bonita sensualidade, sem apelar para vulgaridade. Por isso acredito que até mesmo quem não gosta de romances mais hots pode gostar de “Fingindo”!


Além disso, a autora consegue construir personagens que fogem completamente dos clichês! Claro que pegar um cara que você nunca viu na vida para fingir ser seu namorado é um tipo de loucura difícil de engolir, mas quando a gente conhece Max essa atitude faz todo sentido. Primeiro porque os pais dela são realmente criaturas chatas e segundo porque Max não é uma protagonista comum. Max seria um “homem” da história e Cade, a mocinha. Não que Max não tenha suas inseguranças, mas estas estão relacionadas à sua família e não necessariamente aos relacionamentos amorosos. Já Cade, o bom moço que aceita fingir ser namorado de Max, é mais inseguro em relação aos relacionamentos, porque afinal, passou bom tempo de sua vida apaixonado por sua amiga e nunca conseguiu nada. Cade está disposto a deixar seu lado de “menino de ouro” e começar a ser um cara não tão bonzinho. O problema é que não é muito fácil mudar de personalidade, mesmo ele sendo um bom ator!


Max é uma garota com muitas tatuagens, algumas bem exóticas, que gosta de cantar, mas que trabalha como dançarina em um clube pra poder se sustentar, porque mesmo com seus pais ajudando não é o suficiente. Max namora Mace, um rapaz que seus pais jamais aprovariam e por isso precisa da ajuda de Cade para fingir ser seu namorado. Na verdade Mace nem chega a ser um personagem importante para história, que não desenvolve um triangulo amoroso de fato. Acredito que a maior problemática de “Fingindo” é a superação dos traumas, tanto pela parte de Max quanto pela de Cade.
No entanto, é certo afirmar que os traumas de Max ao perder a irmã gêmea são bem mais fortes que o de Cade. Principalmente por Max viver num eterno conflito em assumir o que é e ser o que os pais querem. Particularmente, gostei bastante de ver um tema diferente na história que não fosse só o relacionamento amoroso. A única questão que levanto mesmo é que Cora Carmack poderia ter dado um aprofundamento maior nos complexos de Max, mas isso não chega a atrapalhar a história.


Resumindo: quem gostou de “Perdendo-me”, com certeza vai gostar de “Fingindo”, principalmente por ter personagens bem cativantes que fogem dos clichês dos romances. Sem contar que a narrativa de Cora Carmack é bem leve e envolvente.

Beijos!
Michele Lima

Compre seu exemplar aqui
Esse livro foi gentilmente cedido por nossa parceira:



Tecnologia do Blogger.