A Playlist de Hayden: Uma das boas surpresas de 2015



Nossa! O que falar sobre A Playlist de Hayden? Um livro fantástico! Envolvente, e de uma narrativa muito cativante. A história trata de bullying, e digo de vários tipos dele. Sam é o personagem principal, e que narra a história. Ele é melhor amigo de Hayden, desde a infância, e após uma situação complicada e que você só desvendará no final da trama, Hyden suicida-se, deixando para o amigo uma playlist que vai sendo ouvida por Sam durante o livro inteiro.

Escrito pela Michelle Falkoff, é também seu livro de estréia, a trama envolve mistério, onde a cada capítulo, e a cada situação, peças vão sendo somadas em um enorme quebra cabeças para que Sam desvende quem absolutamente é responsável (mesmo que indiretamente) pelo suicídio de Hayden, se ele mesmo ou outro, e também por todos os acontecimentos inquietantes decorrentes dele. Não, não é um livro policial, é uma história jovem, onde a autora é formidável ao enganar-nos com pistas clichês, depois desmenti-las com pistas falsas, e sugerir outras possibilidades, nos deixando famintos por mais e mais páginas.

A construção dos personagens idealizados pela Michelle Falkoff é incrível. A Playlist de Hayden é aquele tipo de livro que nos faz se apegar aos protagonistas e torcer por eles. Destaque para Astrid, garota que Hayden conhecia e que aos poucos aproxima-se de Sam, tornando-se peça fundamental na história (e de cara a minha personagem favorita)  - ela me lembrou bastante a Júlia do Por Que Indiana, João? do Danilo Leonardi - Mas também exitem outras figuras que cativam bastante na história, como o estranho e reservado Eric ou a estabanada irmã do Sam, a Rachel.

Falkoff recheia sua história com cultura pop, já que os adolescentes Sam, Hyden e Astrid são nerds assumidos. Há diversas menções a Star Wars, jogos de videogame, Coca Cola, aparelhos eletrônicos da Apple, a série The Walking Dead \o/ e outros elementos que faz com que pessoas que identificam-se com esses elementos mergulhem ainda mais na trama. Essa é uma receita de sucesso que vem dado frutos entre os novos autores young adult contemporâneos.

A história como falei, trata de bullying, mas também de solidão, e traumas. Contudo, não é só de problemas que a Michelle Falkoff trata em sua narrativa, podemos ver amor, esperança e claramente a amizade que extrapola a vida, mas aos meus olhos o que mais chamou atenção foi em tudo foi o perdão.


Considerei uma das melhores leituras de 2015. A Novo Conceito está de parabéns por ter trazido ao Brasil tão gostosa historia. (é engraçado falar isso de um livro que gira em torno de um erro, de um suicídio, mas a lição de vida é bem maior)

A capa é linda, em um azul claro, ilustrando Sam e Astrid com fones de ouvido. O miolo é em papel amarelado, e a Novo Conceito ainda me enviou um lindo fone de ouvido em um entojo redondo, um marcador comum e um marcador em formato de taco de papel de caderno, como Kit. #obrigado.

É uma leitura que recomendo, e que ganha 5 estrelas.  É o terceiro livro que fala desse tema que li nos últimos tempos, junto com Extraordinário e Por Que Indiana, João? prova na necessidade de conscientização de nossa juventude, para que esse mal infeliz seja abolido do cotidiano das escolas e da vida social. Vamos mudar, caros jovens?

Sobre a Playlist em si, eu não conhecia as músicas mas senti falta do Bon Jovi kkk
Confira a playlist completa nesse site aqui.

Forte Abraço!

Esse livro foi gentilmente cedido pela nossa Parceira:

Tecnologia do Blogger.